BLACK SABBATH - OZZY X DIO - QUAL VOCÊ CURTE MAIS?

October 3, 2015

Meu primeiro disco de vinil foi o Sabbath Bloody Sabbath... Comprei usado num sebo no centro da cidade de São Paulo. Isso foi lá no finalzinho da década de 1970. Escutei tanto este disco, mas tanto... Não sei como ele ainda toca (tenho este disco até hoje e continuo a ouví-lo com certa frequência no meu poderoso Hi-Fi Gradiente STR-1050, o mesmo que me acompanha desde 1980). Nesta época eu tinha lá meus 14 ou 15 anos de idade e tudo era muito intenso. Sensações incríveis. Aos primeiros acordes de Killing Yoursef To Live e eu ficava (e ainda fico) todo arrepiado. Depois de algum tempo, caiu na minha mão o Paranoid. O disco estava jogado na casa de meus primos... Meu!!! Ouvir Iron Man pela primeira vez foi algo estonteante!!! Ai veio o Masters Of Reality quase que por acaso... Um vizinho ia jogar o disco fora, podem acreditar nisso? Imediatamente questionei a ação insana e o disco passou a ser meu (e está comigo até hoje). O Vol.4 surgiu emprestado de um amigo... O Sabotage também...

 

Só pelos relatos acima já dá para notar que cresci ouvindo Sabbath da era Ozzy. Naturalmente (respondendo a pergunta título), gosto mais da fase Ozzy do que da fase Dio. Confesso, inclusive, que a primeira vez que ouvi Mob Rules eu não curti muito, pois, naquela época, achava que Sabbath sem Ozzy era um sacrilégio.

 

Felizmente cresci e passei a entender o valor, o legado e a importância que Ronnie James Dio tem dentro do mundo do rock. E mais felizmente ainda, tive o prazer de ver o baixinho em sua última passagem pelo Brasil, quando o Heaven And Hell se apresentou no Credicard Hall (São Paulo) no dia 15 de maio de 2009 (era meu aniversário e me dei este show de presente). Um ano e um dia depois, Dio partiu para o astral, deixando uma lacuna que jamais será preenchida.

 

Hoje em dia, posso dizer que curto bastante as músicas do Sabbath performadas por Dio. Ainda gosto mais dos discos gravados com Ozzy, mas adoro a voz e o estilo do pequeno notável.

 

Deixando de lado este lance do meu gosto pessoal e das minhas influências musicais, pretendo a partir de agora fazer uma analogia de ambos os vocalistas, seus estilos, seus trabalhos, os grupos musicais pelos quais eles passaram e a influência musical que cada um deles exerce no mundo do rock/metal.

 

Muito bem, quanto ao Ozzy, seu background se divide em Black Sabbath e sua prolífica carreira solo. Enquanto fundador e membro do Black Sabbath, em minha humilde opinião, Ozzy Osbourne é uma das molas mestras do grupo. Apesar de não tocar nenhum instrumento e de não ser um compositor brilhante, Ozzy deu voz, rosto e alma à banda. 

 

Enquanto Tony Iommy criava os maiores riffs da história do rock (tornando-se um dos maiores nomes das seis cordas no mundo), Geezer Butler elaborava suas letras soturnas e desenvolvia um estilo único de tocar seu baixo (transformando-se um dos mais influentes baixistas do mundo do rock) e Bill Ward dava o ritmo e a consistência sonora que a banda precisava, o "mad man", com sua voz forte, marcante e inconfundível e com sua loucura maravilhosa, deu ao Black Sabbath a marca que a banda precisava para se destacar entre tantos grupos musicais que brotavam aos borbotões na saudosa década de 1970 na Inglaterra. 

 

Depois de sua conturbada saída do Black Sabbath e após um período sabático no seu próprio inferno, Ozzy Osbourne saiu da tumba e iniciou sua bem sucedida carreira solo, marcada por grandes sucessos musicais e pela capacidade ímpar de recrutar excelentes guitarristas, tais quais Randy Rhoads, Jake E. Lee e Zakk Wylde.

 

Em paralelo, o Black Sabbath continuou sua saga musical. Após perder seu frontman para as drogas e para a loucura, o restante do grupo saiu à caça de um novo vocalista. E a busca resultou num baixinho dono de um vozeirão poderoso, com temperamento muito diferente do antecessor, mais contido e estável, porém, com uma capacidade fantástica de influenciar o Sabbath a reencontrar o caminho do sucesso. Este homem era Ronnie James Dio. Grandes discos foram gravados, tais como Heaven And Hell, Mob Rules e Dehumanizer, onde o comando vocal foi capitaneado por Dio.

 

Com relação ao seu background, registros musicais mais antigos do quais Dio fez parte e que são minimamente conhecidos por uma pequena parte do público rockeiro são algumas músicas da banda ELF, a qual foi fundada por Dio e também por Doug Thaler (teclados), Gary Driscoll (bateria) e pelos guitarristas Nick Pantas e David Feinstein (primo de Dio). 

 

Entre 1967 (ano da formação) e 1975, o ELF gravou apenas três discos. Em 1975 o grupo se desfez, sendo que uma parte de seus integrantes foram recrutados por Ritchie Blackmore e passaram a integrar uma das maiores bandas de hard rock que o mundo já conheceu, o Rainbow.

 

E foi através do Rainbow que Ronnie James Dio ganhou expressividade mundial. Já no primeiro disco da banda, Ritchie Blackmore's Rainbow, Dio mostrou todo o seu poder vocal através de performances maravilhosas em músicas como Man on the Silver Mountain e Catch the Rainbow. No álbum seguinte, Rising, Dio apavorou o mundo do metal com a sensacional Stargazer. No terceiro trabalho do Rainbow, Long Live Rock 'n' Roll, mais uma coleção fantástica de rits, tais quais a faixa título e a estonteante Gates of Babylon (entre outras).

 

Voltando ao Black Sabbath, em face da vida desregrada e inconstante de Ozzy Osbourne, a qual estava impactando a todos que estavam à sua volta, os demais integrantes optaram por dispensá-lo. Havia a encruzilhada: parar ou continuar? Eles decidiram continuar e, para tanto, precisavam de um novo cantor. Mas uma banda como o Black Sabbath não poderia recrutar qualquer um. Tinha que ser alguém à altura do legado que eles já haviam conquistado.

 

Ronnie James Dio entrou na banda e deu a força e a estabilidade que todos precisavam. Influenciou sobremaneira nas novas composições e fez com que o Black Sabbath assumisse um novo patamar no cenário musical, passando a integrar de maneira ainda mais forte o meio denominado Heavy Metal. Se o Sabbath já era cultuado como "os pais do Heavy Metal" na era Ozzy, a partir da entrada de Dio na banda, eles conquistaram este título definitivamente.

 

Dio ficou no Sabbath entre 1980 e 1982; gravou os discos Heaven And Hell (1980) e Mob Rules (1981); em 1982 a banda soltou no mercado o cultuado álbum ao vivo Live Evil, registro maravilhoso onde Dio canta várias músicas da fase Ozzy; se você não conhece este disco, por favor, confira abaixo o registro que encontrei no Youtube... Você vai enlouquecer!!! Depois de uma fase longe do Sabbath, Dio retornou à banda e registrou com eles mais um grande trabalho musical, o álbum Dehumanizer.

 

Botando um fim neste papo, apesar de cultuar os discos da fase Ozzy e admirar profundamente o "Madman", não há como não gostar de Dio e tudo o que ele fez no cenário do rock e do metal. 

 

Enfim, estamos diante de uma difícil decisão, pois quem viu de perto a performance de palco de um e de outro, com certeza ficará em dúvida. Ozzy nunca teve o alcance vocal de Dio; todavia, a intensidade, a loucura e o carisma de Ozzy no palco jamais serão superados.

 

Fica ai a oportunidade de você pensar no assunto!

 

Forte abraço e até a próxima.

 

Betão Star Trips.

 

 

Confiram o álbum Live Evil na integra:

 

 

 

 

 

Please reload

Featured Posts

BANDA INGLESA "JAMES" FAZ SHOW SENSACIONAL NA TORRE DE BELÉM

September 9, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive