DA PRÓXIMA VEZ QUE RITCHIE KOTZEN VIER AO BRASIL, POR FAVOR, VÁ AO SHOW!!!!

July 15, 2017

O texto que ora escrevo não pode ser considerado uma resenha de show... Definitivamente não é isso... Trata-se apenas e tão somente do relato apaixonado de um fã!

 

O dia 13 de julho de 2017 ficará marcado para sempre em minha memória, na medida em que tive a oportunidade ímpar de assistir a um dos melhores shows de minha vida... E olha que de shows de rock eu entendo, pois já fui a muitos deles.

 

Quando Ritchie Kotzen (vocal, guitarra e teclados), Mike Bennett (bateria) e Dylan Wilson (baixo) adentraram ao palco do Carioca Club, a galera já estava devidamente "adrenalizada" em função do show de abertura da excelente banda The Dead Daisies... Falaremos sobre eles mais abaixo...

 

O setlist do show foi ligeiramente diferente daquele que divulgamos na nossa matéria anterior; a trinca de azes iniciou a apresentação com a excelente canção End Of Earth, que faz parte do mais recente trabalho de estúdio de Ritchie Kotzen, o excelente álbum Salting Earth.

 

Daí em diante a platéia já estava ganha e Kotzen e seus brilhantes e virtuosos companheiros de palco não tiveram a menor dificuldade de seguir em frente com o show, destilando seus venenos musicais com maestria e desenvoltura impressionantes.

 

Bom, meu caros, o destaque mais do que merecido tem que ser dado para ele mesmo, Ritchie Kotzen, que não somente é um exímio e talentoso guitarrista, mas é sobretudo um artista completo; o cara canta demais e desfere golpes lancinantes com sua voz ao mesmo tempo rouca, forte e aguda; além disso, ainda opera os teclados de forma magistral, o que é fundamental quando da execução de várias de suas majestosas composições.

 

Entretanto, seria extremamente injusto não citar a brilhante performance do baterista Mike Bennett e o virtuosismo do baixista Dylan Wilson. Este último, inclusive, chegou a roubar a cena em algumas ocasiões, dedilhando seu baixo de forma soberba, envolvendo todo o ambiente com acordes maravilhosos.

 

Como disse no início, minha intenção aqui não é fazer uma resenha, mas sobretudo fazer um relato daquilo que vi, ouvi e senti ao longo da apresentação... Queria falar principalmente sobre o que senti, na medida em que fiquei extasiado na maior parte do show, sem palavras para descrever aquilo que via e ouvia.

 

O que posso dizer da forma mais concreta possível é que Ritchie Kotzen é um dos grandes expoentes na atual cena musical mundial e que, perder um show deste artista é algo a ser lamentado profundamente.

 

Desta forma, meus caros amigos amantes do rock e da boa música, fiquem ligados neste artista; acompanhem sua carreira e sua agenda de lançamentos e de shows, de forma que, na próxima vez que ele vier ao Brasil, vocês estejam lá e que possam conferir "in loco" se tudo isto que ora relato aqui é exagero ou não.

 

Confira a seguir o setlist do show:

 

1. End of Earth (do álbum "Salting Earth")

2. Socialite (do álbum "Mother Head's Family Reunion")

3. Meds (do álbum "Salting Earth")

4. Go Faster (do álbum "Go Faster")

5. Love Is Blind (do álbum "24 Hours")

6. Your Entertainer (do álbum "Peace Sign")

7. My Rock (do álbum "Salting Earth")

8. Cannon Ball (do álbum "Salting Earth")

9. I Would (do álbum "Break It All Down")

10. High (do álbum "Change")

11. Cajón/Drum Solo

12. Fear (do álbum "Into The Black")

13. Help Me (do álbum "24 Hours")

14. This is Life (do álbum "Salting Earth")

 

Bis

15. You Can't Save Me (do álbum "Into The Black")

 

 

 

SHOW DE ABERTURA - THE DEAD DAISIES

 

 

Aos que não conhecem o The Dead Daisies, este humilde divulgador do bom e velho rock n' roll recomenda o investimento de algumas horas de pesquisas e audições musicais apuradas com relação à banda.

 

Inclusive, o Star Trips já deu sua contribuição neste sentido quando da produção do DROPS STAR TRIPS Nº 10, onde contamos um pouquinho da história da banda e divulgamos algumas canções de seu mais recente trabalho de estúdio, o álbum Make Some Noise, que foi lançado no ano passado.

 

O The Dead Daisies é um projeto musical capitaneado por um músico australiano chamado David Lowy. O cara teve a manha de agrupar um time campeão e formar uma banda que, para os padrões atuais, já pode ser considerado como um super grupo.

 

Atualmente, quem faz parte do grupo juntamente com o David Lowy (guitarra) é o carismático vocalista John Corabi (ex Mötley Crue e Ratt, entre outros), o sensacional baixista Marco Mendoza (ex Thin Lizzy e Black Star Riders, entre outros), o multiplatinado guitarrista Doug Aldrich e o competentíssimo baterista Brian Tichy (estes dois últimos já tocaram com tanta gente boa que nem vale a pena perder tempo citando "ex-fulano", "ex-beltrano"... basta uma rápida pesquisa na internet para ter a ficha corrida completa dos mesmos).

 

Muito bem, só pelo lineup já deu prá sacar que um show destes caras não tem como ser ruim, certo? E não tem mesmo! Depois da apresentação deste dia 13 de julho, o The Dead Daisies entra na minha lista de grandes bandas de todos os tempos. Os caras são muito bons; são "entertainers" de primeira linha e fazem um hard rock muito energético e competente.

 

Como destaque, cito a performance magistral de John Corabi, o qual, além de cantar bem, tem uma presença de palco muito bacana, falando com o público o tempo todo e agitando a galera de forma muito energética.

 

Outro destaque é o carisma do baixista Marco Mendoza, que falou bastante com a galera (em espanhol) e agradeceu muito a presença de todos no show; via-se notoriamente que ele estava bastante emocionado com o público.

 

Em termos de setlist, a banda tocou algumas canções do disco mais recente e também vários covers sensacionais, dos quais destaco as execuções de Fortunate Son (Creedence Clearwater Revival) e Helter Skelter (Beatles).

 

Foi uma apresentação com muita garra, energia e competência; e como disse mais acima, os caras deixaram a plateia devidamente energizada para o show de Ritchie Kotzen. E neste sentido, venhamos e convenhamos que pegar um público totalmente aquecido depois de uma brilhante apresentação da banda de abertura não deve ser uma tarefa das mais faceis... tem que ser muito bom para manter a adrenalina da galera em alta... Felizmente, Ritchie Kotzen e seus asseclas tiveram competência de sobra não apenas para manter a galera feliz, mas para elevar ainda mais o astral do público.

 

Confira a seguir o setlist:

 

1. Long Way to Go

2. Mexico

3. Make Some Noise

4. Fortunate Son (Creedence Clearwater Revival)

5. Last Time I Saw the Sun

6. Join Together (The Who)

7. With You and I

8. Mainline

9. Parasite (KISS)

10. Helter Skelter (The Beatles)

11. Midnight Moses

 

Please reload

Featured Posts

A SAGA DO VINIL... DE SÃO PAULO À LISBOA... E ALÉM...

March 1, 2020

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive