EDITORIAL DE FINAL DE ANO... FIM DE CICLOS... NOVOS DESAFIOS...

December 31, 2018

 

Nunca tinha demorado tanto para escrever um editorial de final de ano como agora, onde já nos encontramos nos estertores de 2018. Acabei deixando tal tarefa para o último dia do ano não com esta intenção, mas pela correria habitual deste período somada às grandes mudanças que estão ocorrendo em minha vida nestes últimos três meses.

 

Aqueles que me seguem, certamente já sabem que dentro de poucos dias estaremos nos mudando, eu e minha esposa, para Portugal, em face de minhas atividades profissionais. Sou sócio numa empresa ligada ao setor financeiro e, por conta de novos projetos que foram desenvolvidos em Portugal, minha presença física no país se tornou muito necessária, razão pela qual tomamos a decisão de trabalhar e viver neste belo país ibérico.

 

Há de se colocar aqui um dado muito importante, qual seja, o de que as minhas atividades ligadas ao Star Trips não são exercidas profissionalmente. Todas as matérias, podcasts e divulgações que venho fazendo desde o ano de 1998 são, na verdade, fruto de um hobby... Algo que faço nas minhas horas vagas e que de forma alguma geram qualquer tipo de benefício financeiro. É uma atividade que desempenho por puro amor ao rock n' roll e que visa pura e simplesmente dar uma singela contribuição para que este maravilhoso estilo musical continue a se perpetuar.

 

 

O STAR TRIPS VAI CONTINUAR?

 

Muita gente está me perguntando se eu vou continuar com o Star Trips e a resposta para tal questão é definitivamente "sim". Não há porque deixar de fazer algo que tanto gosto por conta desta mudança; principalmente pelo simples fato de que, para realizar o Star Trips, somente preciso de um computador, uma boa conexão de internet e a boa vontade para realizar as minhas pesquisas musicais.

 

Certamente que haverá uma ligeira perda em termos de conteúdo, no sentido de que, muito do que venho fazendo atualmente está ligado à divulgação de bandas que atuam na cena autoral de São Paulo, em sua grande maioria no circuito underground.

 

Logo, como estarei distante da cena, meus relatos e resenhas serão embasados apenas em pesquisas na internet e nas redes sociais das bandas e nas minhas audições musicais.

 

Perderei a "vibe" das apresentações ao vivo, que é o que mais credencia uma banda. Nada como ver a performance da banda pertinho do palco, sentindo a vibração das cordas (vocais e das guitarras e dos baixos) e dos bumbos.

 

Entretanto, procurarei compensar esta "perda" interagindo mais com os músicos através dos recursos audiovisuais que a internet nos proporciona atualmente. Conversas via Skype, Whatsapp ou mesmo via Facebook, serão amplamente utilizadas.

 

 

BANDAS PORTUGUESAS

 

Uma nova bandeira a ser hasteada pelo Star Trips será o conhecimento e divulgação da cena rock de Portugal. Atualmente, sei muito pouco sobre o rock português; fazendo uma retrospectiva destes 20 anos de Star Trips, apenas duas bandas portuguesas foram abordadas neste período todo, a saber, Moonspell e Terror Empire.

 

Neste quesito há uma excelente salvaguarda a meu favor, na medida em que me tornei um fã inconteste do Moonspell, sendo que existem dois consistentes registros desta banda nos anais do Star Trips, os quais coloco os links a seguir:

 

Star Trips Pílulas de Rock - Edição nº 20 - 30/05/2015 - Moonspell

 

Drops Star Trips - Edição nº 26 - 30/01/2018 - Moonspell - Álbum "1755"

 

Assim que chegar em Lisboa, uma das minhas primeiras ações no sentido de ampliar meu conhecimento da cena e das bandas de rock em Portugal, será procurar bares e casas de shows onde haja apresentações de bandas locais. Creio que não haja nada melhor do que isso para se inteirar do circuito musical de uma localidade.

 

Nas minhas andanças por lá, eu já identifiquei uma FM local que tem o rock como o principal estilo musical veiculado; e foi nesta estação de rádio que ouvi alguma coisa do rock português, porém, sinceramente, ainda não havia conseguido dar foco nas audições. Por certo que utilizarei este canal para saber mais sobre as bandas de rock portuguesas.

 

 

BREVE RETROSPECTIVA 2018

 

Este ano de 2018 foi particularmente produtivo em termos de podcasts. Foram produzidos nada menos do que 24 podcasts, perfazendo uma média de 2 a cada mês. Tal número pode parecer pequeno quando se pensa em termos de números absolutos.

 

Entretanto, quando se coloca na mesa a quantidade de horas que se leva para a realização de um programa que dura em média de 30 a 40 minutos, onde além da audição das músicas existe a necessidade de várias horas de pesquisa e leitura sobre a história das bandas e, em alguns casos, há períodos de interação com os grupos musicais, seja através da participação em shows ou então por intermédio de entrevistas, nos quais se torna impossível mensurar tempos... É esta a questão fundamental, a qual, na grande maioria dos casos, não é percebida pelo público em geral.

 

Neste sentido, há a necessidade de dizer que um programa de 30 minutos veiculado no nosso canal pode ter consumido cerca de 10 ou mais horas para sua produção final. 

 

Toda vez que eu elejo um tema que será objeto da produção de um podcast, desde o momento inicial que envolve a simples leitura de uma entrevista ou simplesmente um bate-papo com um conhecido, passando por audição de discos, consultas na internet e finalmente a elaboração de uma pauta, pense quantas horas foram investidas em todas estas atividades. E mais... depois da pauta pronta, existe todo trabalho de gravação dos áudios e das mixagens dos mesmos. E, ainda, por fim, a elaboração das imagens que serão vinculadas aos áudios e o tempo de upload dos arquivos nas diversas plataformas.

 

Assim sendo, quando você me ouve falando por 10 ou 15 minutos sobre um grupo musical e depois ouve quatro, cinco ou seis faixas da banda, saiba que este simples programa teve horas e horas de produção.

 

Desta forma, estes 24 podcasts produzidos no ano de 2018, certamente foi fruto de bastante trabalho. Não foi um trabalho extenuante, na medida que tudo é feito com muita paixão, carinho e dedicação. Mas, mesmo assim, há toda uma necessidade de inspiração e, claro, uma dedicação de tempo precioso, o qual, diversas vezes, envolve a escolha entre conviver mais com a família e amigos ou dedicar alguma horas a mais ao bom e velho rock n' roll.

 

 

ROCK AUTORAL

 

Um ponto a ser destacado é o forte direcionamento que demos ao rock autoral e da cena underground, principalmente aquela estabelecida na cidade de São Paulo. Neste sentido, vale ressaltar que, dos 24 podcasts produzidos em 2018, 17 deles retrataram o trabalho de bandas que fazem rock autoral. 

 

 

PARCERIAS

 

O ano de 2018 foi bastante marcante para o Star Trips em termos de efetivação de parcerias. Duas destas parcerias se deu junto a dois bares da cidade de São Paulo.

 

Um destes bares é o DONA BREJA, estabelecimento situado na região da Saúde. Além de ser um espaço bastante descontraído e acolhedor, o bar é puro rock n' roll, sendo que seu proprietário, o bonachão Maurício, é conhecido por abrir espaço para bandas que querem mostrar seu trabalho musical, inclusive autoral.

 

Outro espaço gastronômico fantástico e que privilegia o bom rock n' roll, é a HAMBURGUERIA ROCK & BEER, capitaneada pelo casal Cleide Soares e Gabriel Verdazzo, e que eu costumo chamar de "a hamburgueria mais rock n' roll de São Paulo". Foi através da ROCK & BEER que eu conheci algumas das bandas que divulguei este ano.

 

Todavia, a parceria mais prolífica do ano foi, por certo, estabelecida junto à STAY ROCK BRAZIL WEB RADIO. Já fazia algum tempo que eu acompanhava mais de longe a programação desta excelente rádio web. Entretanto, em dado momento, resolvi estabelecer contato junto ao seu principal executivo, o grande Renato Menez.

 

Vale aqui ressaltar o grande e caloroso acolhimento que o Renato Menez me proporcionou desde o início, sempre elogiando o meu trabalho e me incentivando a continuar.

 

E foi através do Renato Menez que conheci os seus dois fiéis escudeiros, Adilson de Oliveira e Rogério Utrila, os quais, além de apresentarem programas na emissora, dirigem uma série de excelentes projetos ligados à divulgação de bandas autorais na rádio.

 

A STAY ROCK BRAZIL foi uma das grandes fontes de inspiração para o Star Trips no ano de 2018 e continuará sendo por muitos e muitos anos.

 

 

CONCLUSÃO

 

O ano de 2018 não foi um ano fácil. Acredito que foi um ano que coroou um duro e pesado período de pelo menos três ou quatro anos onde a cena política brasileira vem tendo um peso bem grande dentro da vida das pessoas. 

 

Até mesmo aqueles mais alienados acabaram se envolvendo em algum tipo de discussão política, questionando os rumos do país e, de alguma forma, querendo decidir melhores caminhos para suas vidas.

 

Não quero (e nem tenho bagagem para tanto) levar a discussão para este lado político. Todavia, sinto que o ano encerra um ciclo tortuoso, fortemente marcado pelas mazelas das nossas frágeis e podres políticas públicas. E, neste sentido, sinto que o ano de 2019, a despeito de também não ser um ano fácil, acredito que será o início de um novo período de crescimento e bonança, em todos os sentidos.

 

Portanto, encerro esta minha mensagem de final de ano, desejando a todos um excelente ano de 2019, repleto de realizações e prosperidade.

 

Que possamos desfrutar muitos e muitos momentos especiais em 2019.

 

Forte abraço a todos e até a próxima, diretamente de Lisboa!

 

Betão Star Trips.

 

 

 

Please reload

Featured Posts

BANDA INGLESA "JAMES" FAZ SHOW SENSACIONAL NA TORRE DE BELÉM

September 9, 2019

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive